Publicidade

Estado de Minas

Policial condenado a 25 anos de prisão por matar músico negro


postado em 25/04/2019 18:55

Um ex-policial da Flórida foi condenado, nesta quinta-feira, a 25 anos de prisão por ter matado Corey Jones - um músico negro que tinha sofrido um acidente de carro e estava pedindo socorro, quando o agente se aproximou e atirou seis vezes.

Nouman Raja, de 41 anos, à época policial da cidade de Palm Beach Gardens (130km ao norte de Miami), foi condenado a 25 anos de prisão pelo homicídio, em 2015, de Jones, que voltava para casa.

"Esse foi um caso de partir o coração. Acho que teve um efeito profundo em todos que passaram por esse julgamento", afirmou o juiz Joseph Marx, citado pelo jornal local Palm Beach Post.

De acordo com a imprensa, esta é a primeira vez em 30 anos que um policial é condenado na Flórida por uma morte a tiros em serviço. O anterior foi William Lozano, em 1989.

Corey Jones, músico de 31 anos, morreu na madrugada de domingo 18 de outubro de 2015 por três dos seis disparos de Raja.

Estava pedindo socorro por telefone, à margem da rodovia, porque sofreu um acidente quando voltava para casa após um show.

O músico estava no telefone quando o agente - vestido à paisana - se aproximou sem se identificar. Houve uma discussão, gravada pelo operador do serviço rodoviário, e Raja disparou.

Jones tinha porte de armas e uma pistola no carro.

O pai da vítima, Clinton Jones, disse no tribunal que "esta foi uma experiência dolorosa para mim e para minha família" e acusou Raja de não ter se arrependido, de acordo com o Palm Beach Post.

A morte de Jones alimentou o debate nos Estados Unidos sobre o uso abusivo de força por parte da polícia contra cidadãos negros.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade