Publicidade

Estado de Minas

Quatro mortos em ataque do EI contra sede dos serviços de segurança sauditas


postado em 21/04/2019 17:07

Quatro homens foram mortos neste domingo ao atacarem um quartel general dos serviços de segurança ao norte da capital saudita, Riad, que foi reivindicado pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

"Um grupo de terroristas lançou um ataque desesperado que foi repelido", anunciou a agência de notícias estatal saudita SPA, citando um porta-voz dos serviços de segurança.

Três policiais ficaram levemente feridos e uma investigação foi iniciada para identificar os agressores.

De acordo com o jornal saudita Asharq al-Awsat, o ataque teve como alvo uma seção do serviço de segurança de Estado em Zulfi, 260 km ao norte de Riad, no coração de uma região sunita.

Os agressores tentaram forçar passagem lançando um veículo contra a barreira de segurança que protegia a sede, segundo essa fonte.

Dois dos atacantes saíram do veículo e abriram fogo contra os policiais que atiraram de volta, matando-os. Um terceiro tentou fugir, mas também foi morto, enquanto um quarto morreu ao acionar os explosivos que carregava.

O EI assumiu a responsabilidade pelo ataque através do seu órgão de propaganda Amaq.

"Os autores do ataque à sede da Segurança de Estado na cidade de Zulfi são combatentes do Estado Islâmico", disse o grupo jihadista sunita.

As forças de segurança na Arábia Saudita foram alvos de numerosos ataques jihadistas nos últimos anos. O país também é palco de confrontos esporádicos entre policiais e ativistas xiitas nas províncias do oeste do país.

O líder do EI, Abu Bakr al-Baghdadi, pediu nos últimos anos ataques na Arábia Saudita, membro da coalizão liderada pelos EUA que intervém no Iraque e na Síria contra os jihadistas desde 2014.

O grupo reivindicou a responsabilidade por ataques anteriores na Arábia Saudita, visando principalmente as forças de segurança, mas também a comunidade xiita.

Em 7 de abril, dois homens com explosivos foram mortos e dois foram presos após um ataque a um posto de segurança em uma área predominantemente xiita da província de Orientale.

Estima-se que a minoria xiita represente entre 10% e 15% dos 32 milhões de sauditas, mas o governo, dominado por uma dinastia sunita, não publica estatísticas oficiais.


Publicidade