Publicidade

Estado de Minas

Sepultado conde de Paris, descendente do último rei dos franceses


postado em 02/02/2019 18:24

O conde de Paris, Henrique de Orleans, descendente direto do último rei dos franceses e aspirante ao trono da França, recebeu neste sábado (2) honras fúnebres na capela real de Saint Louis de Dreux, a oeste da capital francesa.

O príncipe Alberto de Mônaco, o príncipe-herdeiro do Marrocos Moulay Hassan, de 15 anos, a rainha Sofia da Espanha e outros membros da aristocracia europeu assistiram à missa fúnebre do conde de Paris, falecido em 21 de janeiro, aos 85 anos.

Também esteve presente João de Orleans, de 53 anos, filho do falecido, que se tornou o novo conde de Paris e assume o comando da Casa da França. Em um comunicado, disse querer "renovar o pacto histórico e necessário entre a Nação e a Família real".

Henrique de Orleans era descendente do irmão do rei Luís XVI, mas também de Philippe-Egalité (Felipe-Igualdade), como era chamado Luís Felipe José de Orleans (conde de Orleans), que votou a favor da morte do então monarca.

Segundo de onze irmãos, Henrique de Orleans se tornou, aos 66 anos, chefe da Casa da França: apesar de uma longa disputa com seu pai de mesmo nome, este o confirmou em 1996 na ordem de sucessão dinástica.

Nascido em 14 de junho de 1933 no domínio de Anjou em Woluwé-Saint-Pierre (Bélgica), Henrique de Orleans passou a infância entre Marrocos, Espanha e Portugal. Apesar da lei de exílio que pesa sobre o chefe da Casa da França, o jovem príncipe foi autorizado pelo presidente da República na época, Vincent Auriol, a retornar à França para prosseguir com seus estudos.

Após se formar no Instituto de Ciências Políticas de Paris, participou como oficial na guerra da Argélia.

Depois de deixar o Exército, em 1967, fez carreira no setor bancário na França e na Suíça.

Em 1957, como conde de Clermont, casou-se com Maria Teresa de Wurtemberg, com quem teve cinco filhos, antes da separação, em 1977, e do divórcio, em 1984.

Casou-se, então, com a franco-chilena Micaela Cousiño Quiñones de León.

Mas, por causa do divórcio, foi renegado pelo pai e em 1987 designou seu neto, João, filho do conde de Clermont, como seu sucessor.

Mas em 1991, o conde de Clermont recuperou seu "lugar na Família da França" e foi confirmado em 1996 como herdeiro dos direitos à coroa. Em 1999, com a morte de seu pai, herdoi o título de conde de Paris.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade