Publicidade

Estado de Minas

Moradores são retirados do último reduto do EI no leste da Síria


postado em 12/01/2019 21:56

Mais de 600 pessoas foram retiradas neste sábado (12) do último reduto do grupo extremista Estado Islâmico (EI) na província de Deir Ezzor, leste da Síria, segundo uma ONG.

Esta evacuação ocorre em um momento em que os combatentes antijihadistas das Forças Democráticas Sírias (FDS) preparam um último ataque contra este setor.

"Mais de 600 pessoas, a maioria mulheres e crianças, foram evacuadas no sábado em 25 ônibus", enviadas à localidade de Susa pelas FDS e pela coalizão internacional comandada pelos Estados Unidos, indicou à AFP o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Uma dezena de extremistas também estavam entre os evacuados, que foram enviados às áreas controladas pelas FDS, segundo o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

Este desalojamento eleva a 1.600 o número de pessoas, entre elas 760 combatentes, que deixaram o local dos combates desde o começo de dezembro, informou.

Mas "é a primeira vez que as FDS e a coalizão fretam ônibus" para fazer as evacuações, disse Abdel Rahman.

Nos últimos seis meses, 25.000 pessoas fugiram dos combates no leste, onde os jihadistas defendem seus últimos redutos, informou na sexta-feira a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

Estas pessoas estão agora em acampamentos ou instalações improvisadas.

As FDS, coalizão de combatentes curdos e árabes apoiada pela coalizão internacional antijihadista, dirigem desde setembro uma ofensiva para expular os jihadistas de seu último enclave no leste do país.

Nas últimas semanas conseguiram retomar o controle de várias localidades e povoados controlados pelo EI, como Hayin e Al Shafa.

A organização jihadista ainda mantém o controle de Susa e Baghuz, segundo o OSDH.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade