Publicidade

Estado de Minas

Taxa de tabagismo atinge mínimo histórico nos EUA


postado em 08/11/2018 18:56

O cigarro está perdendo popularidade nos Estados Unidos, onde as autoridades de saúde anunciaram nesta quinta-feira que apenas 14% da população atual fuma, o nível mais baixo já registrado no país.

Cerca de 34 milhões de adultos americanos fumam cigarros, de acordo com uma pesquisa de 2017 dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA.

A taxa de fumantes de cigarros caiu de 15,5% em 2016 para 14% em 2017.

A taxa atual representa um declínio de 67% desde 1965, ano em que o National Health Interview Survey (NHIS) começou a coletar dados anuais sobre fumantes, disse o relatório dos CDC.

"Esta nova baixa histórica no consumo de cigarros entre os adultos dos EUA é uma tremenda conquista de saúde pública", disse o diretor dos CDC, Robert Redfield.

O relatório do NHIS também destacou uma queda significativa no número de fumantes adultos jovens em 2017, em comparação com o ano anterior.

Cerca de 10% dos americanos de entre 18 e 24 anos fumavam cigarros em 2017, em comparação com 13% em 2016.

Enquanto isso, o uso de cigarros eletrônicos está aumentando rapidamente entre os jovens, e os reguladores dos EUA estão considerando proibir a nicotina aromatizada que é usada nos vaporizadores.

Segundo os CDC, um em cada cinco adultos dos Estados Unidos (47 milhões de pessoas) ainda usa algum tipo de produto de tabaco - incluindo cigarros, charutos, cigarros eletrônicos, narguilé ou tabaco sem fumaça - uma taxa que se manteve estável nos últimos anos.

O tabagismo ainda é a principal causa de morte e doenças evitáveis nos Estados Unidos, matando cerca de 480 mil americanos a cada ano.

Cerca de 16 milhões de americanos sofrem de doenças relacionadas ao tabagismo.

"Há mais de meio século, o tabagismo é a principal causa de mortalidade por câncer nos Estados Unidos", disse o diretor do Instituto Nacional do Câncer, Norman Sharpless.

"Eliminar o tabagismo nos Estados Unidos eliminaria, com o tempo, cerca de um terço de todas as mortes por câncer".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade