Publicidade

Estado de Minas

Campanha pró-Brexit é multada por uso irregular de dados pessoais


postado em 06/11/2018 13:31

O movimento pró-Brexit Leave.EU, financiado pelo bilionário britânico Arron Banks, e uma empresa de sua propriedade enfrentam multas de 135 mil libras por violar a proteção de dados pessoais durante a campanha para o referendo de 2016, informaram autoridades nesta terça-feira.

O Gabinete do Comissário de Informação (ICO) - órgão regulador britânico encarregado da proteção de dados pessoais - garante que a campanha Leave.EU utilizou informações de clientes da empresa de seguros Eldon Insurance para enviar material de marketing eleitoral de forma irregular.

O organismo comunicou sua intenção de multar a Leave.EU e a Eldon Insurance, empresa conhecida comercialmente como GoSkippy, em 60 mil libras esterlinas (78 mil dólares) cada uma por "infrações graves" da regulamentação sobre as comunicações eletrônicas pelo envio de mais de um milhão de e-mails com publicidade da GoSkippy para os filiados da Leave.EU.

O ICO também quer sancionar a Leave.EU com multa de 15 mil libras por ter enviado quase 300 mil e-mails para clientes do Eldon Insurance que incluíam boletins de informações da Leave.EU.

O financiamento de Banks para a campanha pró-Brexit está sendo investigado pela agência britânica de combate ao crime organizado NCA. O empresário se defendeu dessas novas acusações no Twitter nesta terça.

"O ICO não encontra nenhuma evidência de uma grande conspiração de dados e acha que podemos ter acidentalmente enviado boletins de informação aos clientes", escreveu ele.

A Leave.EU nasceu em 2015 para defender a saída do Reino Unido da União Europeia, aprovada em referendo em junho de 2016 com 52% dos votos a favor. A Comissão Eleitoral descartou esse movimento como uma campanha oficial dos apoiadores do Brexit, mas, graças à sua forte presença nas redes sociais, foi decisiva na escolha dos britânicos.

A NCA anunciou na semana passada que está investigando o alegado uso por bancos de empresas registradas em Gibraltar e na Ilha de Man para financiar a Leave.EU, movimento proibido pela lei eleitoral britânica.

Em maio, a Comissão Eleitoral já multou a Leave.EU com 70 mil libras por exceder o teto de gastos da campanha e apresentar declarações de despesas incompletas ou imprecisas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade