Publicidade

Estado de Minas

Fox News, NBC e Facebook retiram propaganda de Trump sobre imigrantes latinos


postado em 05/11/2018 20:13

As emissoras Fox News e NBC, e mais tarde a rede social Facebook, pararam de difundir nesta segunda-feira (5) uma propaganda da campanha eleitoral de Donald Trump que compara um criminoso mexicano com os migrantes da caravana a caminho dos Estados Unidos.

"Após analisar o tema, a Fox News retirou a propaganda ontem (domingo) e não aparecerá nem na Fox News nem na Fox Business Network", indicou a presidente de venda de espaços publicitários da emissora conservadora, Marianne Gambelli, em uma mensagem enviada à AFP.

Questionado a respeito nesta segunda-feira, o presidente Trump disse que não estava a par. Mas quando os jornalistas insistiram sobre esta propaganda chocante, respondeu: "Muitas coisas são chocantes. As perguntas de vocês são chocantes".

A publicidade, que a emissora CNN havia se negado a difundir por considerá-la racista, também foi retirada de sua plataforma pelo Facebook, confirmou a rede social à AFP.

A propaganda começa com imagens de Luis Bracamontes, um cidadão mexicano condenado à morte em abril pelo assassinato de dois policiais de Sacramento, capital da Califórnia, em 2014.

O caso atraiu a atenção dos meios de comunicação e da opinião pública pela gravidade dos feitos, mas também porque o acusado recebeu o veredicto de culpado rindo, e prometendo que fugiria da prisão para "matar mais policiais em breve".

As imagens da propagada mostram partes desta cena junto com mensagens como "os democratas os deixaram entrar em nosso país" e "os democratas os deixaram ficar".

Depois encadeia diretamente imagens das caravanas de imigrantes centro-americanos que tentam chegar à fronteira dos Estados Unidos do México.

A propaganda também mostra cenas de imigrantes que derrubam portas com grades.

"Quem mais os democratas vão deixar entrar?" - pergunta o aviso, evocando o cenário de uma vitória eleitoral dos democratas nas eleições de meio de mandato desta terça-feira (6).

A NBC seguiu o mesmo caminho.

"Nos demos conta da natureza pouco delicada desta propaganda", disse à CNN um porta-voz da NBC.

Desde o início, a CNN se negou a difundi-la, o que foi denunciado no sábado por Donald Trump Jr, filho do presidente republicano.

"Imagino que só passem informações falsas e não falarão das verdadeiras ameaças que não sirvam aos seus planos", disse.

"A CNN mostrou claramente em sua cobertura editorial que esta propaganda é racista", disse, por sua vez, a emissora. "Quando propuseram nos pagar para difundi-la, nos negamos".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade