Publicidade

Estado de Minas

Camarões: 79 estudantes são sequestrados por homens armados


postado em 05/11/2018 18:45

Um total de 82 pessoas, incluindo 79 estudantes adolescentes, foram sequestradas nesta segunda-feira (5) no noroeste de Camarões, região mergulhada num conflito armado entre separatistas e as forças de segurança, informou à AFP uma fonte do governo.

"Setenta e nova estudantes" e três adultos da Presbyterian Secondary School de Bamenda (capital regional) foram sequestrados, afirmou à AFP o ministro de Comunicações e porta-voz do governo, Issa Tchirom Bakary.

Este tipo de sequestro é praticamente inédito em Camarões, diferentemente da vizinha Nigéria, onde o grupo extremista Boko Haram sequestrou 200 adolescentes de um internato em 2014.

Além dos alunos, o diretor da escola, um professor e um motorista também foram sequestrados por homens armados que ainda não foram identificados, informou à AFP uma fonte do governo.

"As operações de busca começaram a encontrar os reféns, a mobilização é total", acrescentou a mesma fonte após uma reunião de crise do Executivo.

"O estabelecimento está isolado pelas forças de segurança. Não podemos acessá-lo", explicou uma fonte próxima ao instituto.

Em um vídeo de 6 minutos ao qual a AFP teve acesso, 11 meninos de cerca de 15 anos dizem em voz alta em inglês seus nomes e afirmam ter sido sequestrados pelos "Amba boys" - grupo armado de separatistas anglófonos.

"Abriremos nossas próprias escolas, seguiremos juntos e combateremos pela Ambazônia", Estado que os separatistas camaroneses querem criar, garante um homem com um microfone, enquanto outro filma os adolescentes.

As duas regiões anglófonas de Camarões, no noroeste e no sudoeste, são desestabilizadas por grupos separatistas armados que pretendem proclamar um Estado independente, restaurando assim a "dignidade" de uma minoria que se considera marginalizada pelo governo central, dominada pelos povos francófonos.

O presidente de Camarões, Paul Biya, de 85 anos - 35 deles no poder - foi reeleito no final de outubro pelo sétimo mandato, com 71,28% dos votos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade