Publicidade

Estado de Minas

Israel faz revista em ministério palestino


postado em 04/11/2018 16:47

Os serviços de segurança israelenses revistaram, neste domingo (4), o ministério palestino encarregado de Jerusalém e confiscaram materiais, denunciou o ministro Adnan al-Huseini.

A polícia israelense "entrou no edifício" que abriga a sede do ministério e da "'governação' de Jerusalém" e sequestrou documentos e outros materiais, disse o ministro à AFP.

Esta revista constitui "uma perigosa escalada e uma violação flagrante de todos os acordos e leis internacionais", denunciou Yusef Mahmud, porta-voz da Autoridade Palestina.

Os serviços de segurança israelenses justificaram a revista e as apreensões dizendo que se referiam "às atividades ilegais em Jerusalém" realizadas pela Autoridade Palestina.

Os materiais "confiscados serão analisados", acrescentou Shin Beth, o serviço de segurança israelense.

Questionado pela AFP, o Shin Beth reconheceu que considera "ilegais" todas as atividades da Autoridade Palestina em Jerusalém.

Em 20 de outubro, o "governador" palestino de Jerusalém, Adnan Gheith, foi preso e retido durante dois dias antes de ser liberado.

Israel ocupou Jerusalém Oriental em 1967 e a anexou ao seu território em 1980 argumentando que a cidade é sua capital "eterna" e "indivisível". A comunidade internacional não reconhece esta anexação e considera Jerusalém Oriental como território ocupado por Israel.

Os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como a capital do Estado ao qual aspiram.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade