Publicidade

Estado de Minas

Terceiro dia de protestos no Paquistão contra absolvição de cristã


postado em 02/11/2018 16:58

O Paquistão continuava em grande parte paralisado nesta sexta-feira (2) pelas manifestações islâmicas contra a absolvição da cristã Asia Bibi, apesar do pedido do Exército de não ultrapassarem os limites.

Todas as principais estradas e rodovias do país estavam fechadas ao tráfego nesta sexta, e a circulação foi reduzida nas estradas secundárias. Muitos preferiram permanecer em casa.

Estabelecimentos comerciais e escolas também estavam fechados, e as conexões de celular permaneciam interrompidas nas grandes cidades.

Vários grupos de religiosos convocaram manifestações para esta sexta-feira depois da oração. As ruas estavam desertas na maioria das grandes cidades.

A tensão aumentou à noite (horário local) após o anúncio do assassinato de um influente mulá, Sami ul Haq, conhecido por sua ligação com os talibãs afegãos e cujo partido é aliado do primeiro-ministro, Imran Khan.

O mundo religioso muçulmano extremista protesta contra a sentença anunciada na quarta-feira pela Suprema Corte que absolve a cristã Asia Bibi, condenada à morte em 2010 por blasfêmia.

Em Islamabad, 5.000 pessoas identificadas com partidos religiosos pediam o enforcamento de Asia Bibi e dos juízes que a absolveram, qualificando estes de "blasfemos", constatou a AFP.

A maioria das manifestações é liderada pelo partido radical Tehreek-e-Labaik Pakistan (TLP), conhecido por sua linha particularmente severa em questão de blasfêmia.

Um dos líderes dos manifestantes exigiu a morte dos juízes da Suprema Corte e pediu aos militares que façam um motim, forçando o Exército a se posicionar nesta sexta-feira.

"Este é um caso judicial e o Exército não tem nada a ver com isso (...) Não nos coloquem neste tipo de situação", declarou seu porta-voz, Asif Ghafoor.

Mais tarde, líderes radicais islâmicos se mostraram dispostos a encerrar o protesto de três dias depois de chegarem a um acordo com o governo, assinalou um porta-voz dos manifestantes.

"Os líderes do partido anunciaram o fim do protesto em todo o país. Trabalhadores foram convocados a se dispersar pacificamente", disse à AFP Pir Ijaz Qadri, porta-voz do Tehreek-e-Labaik Paquistão, após uma coletiva de imprensa dada pelos líderes do partido.

Mais cedo, dois ministros do governo também confirmaram o acordo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade