Publicidade

Estado de Minas

Novo Nordisk, líder mundial da insulina, demite 1.300 funcionários


postado em 01/11/2018 16:02

A empresa farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk, líder mundial da insulina, anunciou nesta quinta-feira a demissão de 1.300 pessoas como parte de um plano de reestruturação de suas atividades de pesquisa e desenvolvimento.

"A massa salarial deve ser reduzida em 1.300 empregados até o fim de 2018 e a maior parte desta redução já aconteceu", afirma o grupo em um comunicado.

Novo Nordisk anunciou também nesta quinta-feira uma queda de 8% do lucro líquido, a 9 bilhões de coroas (1,37 bilhão de dólares), em consequência do câmbio desfavorável.

O faturamento aumentou, a 27,6 bilhões de coroas (4,2 bilhões de dólares).

Nos primeiros nove meses de 2018, as vendas de medicamentos para diabetes e obesidade - responsáveis pela maior parte do faturamento da empresa - registraram queda de 1%.

A Novo Nordisk domina 46% do mercado de insulina.

A farmacêutica afirmou que "este movimento reflete recentes ajustes em nossa estratégia global para nos adaptarmos a novas realidades dos mercados" e que não houve demissões no Brasil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade