Publicidade

Estado de Minas

Otan tenta aplacar tensão entre Moscou e Washington sobre tratado nuclear


postado em 01/11/2018 07:59

A Otan pediu nesta quarta-feira (31) a Rússia e Estados Unidos para respeitar o tratado de 1987 sobre armas nucleares após a ameaça dos Estados Unidos de sair e advertiu a Moscou de sua "determinação" para garantir a segurança da Aliança.

Os embaixadores dos 29 países aliados conversaram com seu homólogo russo durante uma reunião do Conselho Otan-Rússia na sede da Aliança em Bruxelas. A reunião durou três horas e meia, informou o diplomata.

"Os aliados exortam de novo a Rússia a respeitar plenamente e sem demora o Tratado de 1987 sobre as Armas Nucleares de Alcance Intermediário", conhecido como INF, anunciou a Otan em um comunicado ao fim da reunião.

A Aliança expressa sua vontade de continuar o "diálogo sobre isso com a Rússia", mas adverte sobre sua determinação "em tomar medidas eficazes para continuar garantindo a segurança de todos os aliados".

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, lamentou que a Rússia não tenha respondido às preocupações expressas pela Aliança sobre seu novo sistema de mísseis 9M729 ou SSC-8, acrescenta o comunicado.

A Aliança considera que "o sistema de mísseis 9M729 constitui um risco sério para a estabilidade estratégica da zona euro-atlântica".

O representante russo assegurou que o novo sistema de mísseis não viola o tratado e reiterou que Moscou dará as explicações solicitadas, indicou uma fonte diplomática.

Os membros europeus da Otan consideram o INF essencial para a segurança na Europa e temem os eventuais riscos de uma possível saída dos Estados Unidos do tratado.

"A crise dos euromísseis em 1977 continua na memória das pessoas", explicou um diplomata, acrescentando que telefonou para Moscou e Washington a fim de acalmar a situação, mas que isso "é muito difícil".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade