Publicidade

Estado de Minas

Reino Unido amplia rede diplomática antes do Brexit


postado em 30/10/2018 23:05

O ministério britânico das Relações Exteriores anunciou nesta terça-feira "a maior ampliação de sua rede diplomática em uma geração", quando faltam apenas cinco meses para a saída do Reino Unido da União Europeia.

O Foreign Office abrirá 12 novas representações, em todo o mundo, e criará 1.000 novos postos, para os quais dois terços das contratações serão realizadas no exterior e o restante, em Londres.

O Reino Unido abrirá uma embaixada no Djibouti e representações diplomáticas em Tonga, Granada, Antigua e Barbuda, e San Vicente e Granadinas, além de uma "missão" em Jacarta junto à Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean).

O anúncio chega cinco meses antes do Brexit - previsto para 29 de março de 2019 - e na véspera de um discurso do ministro britânico das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, na tarde desta quarta-feira.

"Nossos valores democráticos jamais estiveram tão ameaçados desde a queda do Muro de Berlim", dirá Hunt em seu discurso, segundo extratos divulgados pela chancelaria.

"O papel, e inclusive a obrigação do Reino Unido é defendê-los. Por este motivo devemos nos converter em uma rede invisível que une as democracias mundiais".

Após esta expansão "estaremos representados em 83% dos países membros da ONU, o percentual mais alto em ao menos 30 anos", destacou um porta-voz do Foreign Office.

O ministério também "duplicará" o número de diplomatas no exterior que falam o idioma do país em que trabalham e aumentará de 50 para 70 a quantidade de línguas ensinadas em seus cursos (incluindo cazaque e quirguiz).

Londres já havia anunciado, no início do ano, a abertura de embaixadas no Chad e Níger, além de novos escritórios em diversos países da Commonwealth.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade