Publicidade

Estado de Minas

Papa aceita renúncia de cardeal dos EUA acusado de acobertar abusos sexuais

O próprio Donald Wuerl anunciou em setembro que pretendia apresentar sua renúncia ao pontífice


postado em 12/10/2018 08:30 / atualizado em 12/10/2018 08:48

Foto de arquivo de 1 de maio de 2018 mostra o cardeal Donald Wuerl, o arcebispo de Washington, do lado de fora da Igreja Católica de St. Patrick antes da 24ª
Foto de arquivo de 1 de maio de 2018 mostra o cardeal Donald Wuerl, o arcebispo de Washington, do lado de fora da Igreja Católica de St. Patrick antes da 24ª "Missa Azul" anual em Washington (foto: AFP )

A renúncia do cardeal americano Donald Wuerl a sua posição de arcebispo de Washington, depois de suspeita de acobertar casos de abusos sexuais por parte de padres pedófilos, foi aceita nesta sexta-feira pelo papa Francisco, de acordo com um comunicado da Santa Sé.


O próprio Wuerl anunciou em setembro que pretendia apresentar sua renúncia ao pontífice.


Um extenso relatório do grande júri dos Estados Unidos divulgado em agosto revelou denúncias contra mais de 300 padres pedófilos e identificou mais de 1.000 vítimas de abuso sexual infantil encobertas durante décadas pela Igreja Católica no estado da Pensilvânia.


O relatório é considerado o mais abrangente até hoje em relação ao abuso na igreja dos EUA, mas quando os promotores entraram com acusações contra dois padres, a grande maioria dos crimes já havia prescrito.


No relatório, Wuerl, que foi bispo de Pittsburgh de 1988 a 2006, é repetidamente citado como um dos líderes da Igreja que ajudou a encobrir o escândalo. Ele enfrenta numerosos pedidos por sua renúncia, inclusive de seu próprio clero.


Na capital americana, no mês passado, Wuerl se prostrou ao chão em sinal de arrependimento em uma missa dedicada às vítimas de abusos sexuais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade