Publicidade

Estado de Minas

Líder opositor de Bangladesh condenado à prisão perpétua por ataque em 2004


postado em 10/10/2018 07:09

Um dos líderes da oposição em Bangladesh, que vive no exílio, foi condenado nesta quarta-feira à prisão perpétua por um ataque com granada em 2004 contra a atual chefe de Governo.

Tarique Rahman, filho da ex-primeira-ministra Khaleda Zia, era um dos 49 acusados por uma tentativa de assassinato de Sheikh Hasina, na época à frente da oposição e que está no poder desde 2008.

Rahman foi acusado de desempenhar um papel chave no ataque.

Outras 19 pessoas, incluindo dois ex-ministros, foram condenadas à pena de morte.

Em 21 de agosto de 2004, Hasina estava em um comício em Dacca, a capital do país, quando foi alvo do lançamento de granadas que mataram 20 pessoas. A atual primeira-ministra foi ferida em uma orelha.

Tarique Rahman, 50 anos, fugiu de Bangladesh em 2008. De Londres lidera o principal grupo de oposição do país, o Partido Nacionalista de Bangladesh (BNP), depois que sua mãe foi condenada, em fevereiro, a cinco anos de prisão.

A polícia reforçou a segurança em Dacca por ocasião do julgamento, pelo temor de distúrbios.

A rivalidade entre Sheikh Hasina e Khaleda Zia, duas figuras importantes da independência deste país pobre do sul da Ásia, começou há 25 anos. Elas foram aliadas nos anos 1980 contra o regime militar, mas desde a década de 90 protagonizam uma ferrenha luta política.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade