Publicidade

Estado de Minas

Segundo suspeito do caso Skripal é médico do serviço de Inteligência russo


postado em 08/10/2018 17:12

O segundo suspeito da tentativa de envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal, em março passado, em Salisbury (Inglaterra), é um médico do serviço de Inteligência russo (GRU), anunciou nesta segunda-feira (8) o site investigativo bellingcat.com.

"Identificamos 'Alexandre Petrov' como Alexandre Yevgenievish Mishkin, um médico militar empregado pelo GRU", informa o site Bellingcat, com sede em Leicester (centro da Inglaterra).

O site explica que conta com "múltiplas fontes", como "testemunhos de pessoas familiares" com o indivíduo, assim como com cópias de documentos de identidade, especialmente uma cópia do seu passaporte, do qual apresenta uma foto.

Segundo o Bellingcat, Alexandre Yevgenievish Mishkin nasceu em 13 de julho de 1979 em Loyga, na Rússia. Ele estudou medicina em uma academia militar, antes de fazer treinamento de medicina na Marinha russa.

Recrutado pelo GRU durante seus estudos, conseguiu tirar carteira de identidade e passaporte com o nome de Alexandre Petrov.

A Polícia britânica tinha informado este nome quando apresentou as conclusões de sua investigação sobre os homens suspeitos de terem tentado envenenar, em 4 de março, em Salisbury, o ex-espião russo Serguei Skripal e sua filha, Yulia. A Polícia destacou, então, que o nome usado era provavelmente um pseudônimo.

Em 26 de setembro, o site Bellingcat já tinha publicado a identidade de outro suspeito, que a Polícia britânica apresentou como Ruslan Boshirov. "O suspeito é na verdade o coronel Anatoli Chepiga, um oficial do GRU altamente condecorado", afirmou Bellingcat.

O presidente russo, Vladimir Putin, declarou em 12 de setembro que sabia quais eram os dois homens acusados por Londres e assegurou que eram civis que não tinham feito nada "criminoso".

Os dois homens foram depois entrevistados pela televisão pública russa RT e afirmaram ter viajado como turistas a Salisbury, cidade do sudoeste da Inglaterra onde morava o ex-agente duplo envenenado.

Eles desmentiram ser agentes do GRU.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade