Publicidade

Estado de Minas

Vice americano discute crise na Venezuela com presidente da Colômbia


postado em 13/09/2018 17:12

O vice-presidente americano, Mike Pence, discutiu com o presidente colombiano, Iván Duque, sobre a crise na Venezuela durante uma ligação na qual reafirmaram o compromisso de manter a pressão sobre o chefe de Estado venezuelano, Nicolás Maduro, informou a Casa Branca na quarta-feira.

"Os dois líderes debateram a crise humanitária na Venezuela e os seus efeitos colaterais em toda a região, reiterando o seu compromisso de manter a pressão sobre o regime de Maduro e abordando o tema do trágico colapso da democracia na Venezuela", acrescentou o comunicado.

Segundo a ONU, cerca de 2,3 milhões de venezuelanos saíram do país petroleiro desde 2014, mergulhado em uma aguda crise econômica. A Colômbia recebeu mais de um milhão de pessoas do país vizinho, das quais já regularizou mais de 820.000.

"O vice-presidente também reconheceu os esforços iniciais realizados pelo presidente Duque na crucial luta contra as drogas ilegais", indicou a Casa Branca.

Na quarta-feira, Duque anunciou que durante o seu mandato prevê acabar com ao menos 140.000 hectares de cultivos de drogas, após o aumento histórico de semeadouros ilícitos que alcançou os 209.000 hectares plantados em 2017.

O anúncio foi feito um dia depois de uma reunião com uma delegação de funcionários americanos de alto escalão, liderada por James Carroll, subdiretor do Escritório de Política Nacional de Controle de Drogas dos Estados Unidos.

Pence "expressou a nós o seu apoio à nossa agenda de segurança e à política integral contra as drogas, que inclui prevenção, substituição e erradicação de cultivos", afirmou o presidente colombiano no Twitter.

Duque assumiu o poder em 7 de agosto e questionou a estratégia antidrogas de seu antecessor, Juan Manuel Santos, que combinava a eliminação de plantações com acordos de substituição voluntária com os camponeses cocaleiros.

Após quase quatro décadas de combate ao tráfico de drogas, a Colômbia continua sendo o principal produtor mundial de cocaína, e os Estados Unidos o maior consumidor dessa droga.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade