Publicidade

Estado de Minas

Comunicado do Business Wire :GSMA


postado em 12/09/2018 22:48

Quase metade de todas as conexões móveis na América do Norte é previsto para entrar em operação nas redes 5G até 2025, segundo um novo relatório da GSMA, sugerindo que a região irá migrar para 5G em um ritmo muito mais rápido ao comparado em mercados da Europa e da Ásia. A edição mais recente da emblemática série de Economia Móvel da GSMA, publicada esta semana na Mobile World Congress Americas, prevê que haverá cerca de 200 milhões de conexões móveis 5G nos EUA e Canadá até 2025, representando 49% do mercado total projetado neste ponto. O relatório também calcula que o ecossistema de mobilidade da América do Norte gerou mais de US$ 830 bilhões em valor na economia no ano passado, equivalente a 4% do PIB da região1.

"As operadoras de telefonia móvel na América do Norte estão agora atingindo níveis recordes de investimento para atualizar redes e adquirir espectros, uma vez que começamos a era 5G", comentou Mats Granryd, Diretor Geral da GSMA. "Com uma cobertura nacional de banda larga móvel e altos níveis de propriedade de smartphones, clientes em todo os EUA e Canadá estão bem comprometidos, sendo os primeiros a adotar novos tipos de serviços e conteúdos digitais - e, portanto, esperamos que estes dois mercados migrem rapidamente para as novas redes 5G durante os próximos anos."

Base de Assinantes Ultrapassa 300 Milhões O 4G atualmente é a tecnologia móvel dominante na América do Norte (representando 70% das conexões em 2017) e irá continuar a crescer até o próximo ano, quando o 5G começará a ter impacto. As operadoras nos EUA irão lançar as primeiras redes comerciais de 5G neste ano, sendo esperado que as operadoras no Canadá lancem o 5G em 2020. É esperado que até 2025, o índice de adoção ao 5G na América do Norte (49% das conexões) esteja significativamente avançando na Europa (30%) e mercados chave da Ásia como China, Japão e Coreia do Sul (30%, agregado).

O número de assinantes exclusivos de telefonia móvel2 na América do Norte ultrapassou 300 milhões em 2017, representando 84% da população, o segundo maior índice de penetração de assinantes a nível mundial, atrás da Europa. É previsto que a base de assinantes aumente para 328 milhões até 2025, elevando o índice de penetração para 86%.

A Indústria de Mobilidade da Região Passa por uma Rápida Transformação O impacto de tecnologias e serviços de mobilidade da próxima geração está resultando em uma crescente contribuição à economia da região. Até 2022, é esperado que a contribuição econômica da indústria de mobilidade aumente em 32% para US$ 1,1 trilhão, ou 4,9% do PIB, de US$ 833 bilhões (4% do GDP) em 2017, impulsionada pelo aumento de produtividade e digitalização em curso da indústria e dos serviços. O ecossistema da mobilidade na América do Norte também deu suporte a quase 2,4 milhões de empregos em 2017, sendo responsável por US$ 114 bilhões no financiamento do setor público via tributação geral (não incluindo aumento de fundos por leilões espectrais).

Entretanto, a indústria na América do Norte está atualmente passando por um período de rápida mudança, impulsionado por grandes fusões e aquisições envolvendo empresas de telecomunicações e de mídia, maior concorrência de participantes na Internet como a Netflix e a Amazon, e a crescente adoção de tecnologias como a Internet das Coisas (IoT). É previsto que o número de conexões de IoT na América do Norte quase triplique entre 2018 e 2025, alcançando quase 6 bilhões.

"As operadoras de telefonia móvel da América do Norte estão compensando o declínio de muitos serviços tradicionais de mobilidade ao abrir com sucesso novas oportunidades de receitas em conteúdo, IoT e - logo em breve - 5G", acrescentou Granryd. "Os casos de uso antecipado do 5G na região provavelmente terá foco na provisão do aumento de ofertas de banda larga móvel ao mercado de consumo, enquanto os serviços em setores como veículos autônomos, automação industrial e veicular, cirurgia médica remota e RA/RV avançadas, irão ganhar fôlego logo depois."

O novo relatório 'A Economia Móvel: América do Norte 2018' é de autoria da GSMA Intelligence, o ramo de pesquisa da GSMA. Para ver o relatório completo e infográficos relacionados, acesse: www.gsma.com/mobileeconomy/northamerica/

-FIM-

Sobre a GSMA A GSMA representa o interesse das operadoras de telefonia móvel em todo o mundo, unindo mais de 750 operadoras com mais de 350 empresas no ecossistemas mais amplo de mobilidade, incluindo fabricantes de aparelhos celulares e dispositivos, empresas de software, fornecedores de equipamentos e empresas de Internet, bem como organizações em setores adjacentes da indústria. A GSMA também produz eventos com liderança no mercado como o Mobile World Congress, Mobile World Congress Shanghai, Mobile World Congress Americas e a série de conferências Mobile 360.

Para mais informação, acesse o site corporativo da GSMA em www.gsma.com. Siga a GSMA no Twitter: @GSMA.

____________________________ 1 A contribuição ao PIB inclui contribuições diretas do ecossistema de mobilidade (1,2%); contribuições indiretas (0,8%); e melhorias da produtividade (2,0%) 2 Um assinante exclusivo de telefonia móvel representa um indivíduo que pode ser responsável por múltiplas conexões SIM

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Ver a versão original em businesswire.com: https://www.businesswire.com/news/home/20180912006158/pt/

Pela GSMA Amelise Lane alane@webershandwick.com +1 212 546 7830 ou Ivette López ilopez@gsma.com +1 678 429 5066 ou Assessoria de Imprensa da GSMA pressoffice@gsma.com

© 2018 Business Wire, Inc. Aviso: Este documento não é de autoria da AFP e a AFP não pode se responsabilizar por seu conteúdo. Para esclarecer qualquer dúvida sobre o conteúdo, por favor, contate as pessoas/empresas indicadas neste comunicado de imprensa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade