Publicidade

Estado de Minas

Mulheres marcham por seus direitos no festival de cinema de Toronto


postado em 08/09/2018 20:30

Cerca de 200 homens e mulheres, entre eles estrelas de Hollywood, se reuniram neste sábado nos arredores da sede do Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF) para exigir igualdade salarial e respeito às mulheres que trabalham neste setor.

"As mulheres arrasam!", gritaram os manifestantes durante a marcha, em meio a crescentes chamados à indústria para que sejam realizadas mais histórias lideradas por mulheres e sejam destinados papéis substanciais para elas, na esteira do movimento #MeToo.

Dirigindo-se à multidão, a atriz Geena Davis falou da necessidade de começar cedo a eliminar os preconceitos de gênero, por exemplo, assegurando-se que haja mais personagens femininos nos programas de televisão e filmes infantis.

"Por que ensinamos às crianças uma coisa da qual nos esforçamos tanto para nos desfazermos mais adiante? Por que estamos treinando-os para que tenham um preconceito de gênero inconsciente desde o início, quando sabemos que é tão difícil se desfazer dele depois?", questionou.

As atrizes Amanda Brugel, da série "Handmaid's Tale", e Mia Kirshner, cofundadora da campanha #AfterMeToo, também estiveram presentes, pedindo às pessoas da indústria do cinema que apoiem as vozes femininas.

"Trata-se de que todos se unam e reconheçam uma cultura que é pouco saudável e tóxica e que não ajuda ninguém", disse à AFP Callum Middleton, um garçom de Vancouver de 23 anos que participou da marcha.

Anteriormente, Cameron Bailey, chefe do Festival Internacional de Cinema de Toronto, reiterou o compromisso do TIFF com a igualdade de gênero na indústria.

A proporção de filmes de mulheres exibidos no TIFF este ano foi de 35%, um pouco mais que em 2017. Também houve 136 protagonistas mulheres.

O festival estabeleceu, ainda, uma linha direta para o pessoal, os voluntários, os convidados e os membros da audiência, e colocou cartazes destacando sua tolerância zero para o assédio ou o abuso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade