Publicidade

Estado de Minas

Dez meses após legalização da maconha, Los Angeles combate comércio ilegal


postado em 07/09/2018 22:18

As autoridades de Los Angeles acusaram mais de 500 pessoas envolvidas com o comércio ilegal de maconha, cujo uso recreativo se tornou legal na Califórnia há quase 10 meses.

"Nossa mensagem é clara: se você quer operar um negócio ilegal de cannabis pagará as consequências", disse o advogado da cidade de Los Angeles Mike Feuer. "Os eleitores de Los Angeles queriam normas básicas que regulassem a maconha recreativa para que a segurança pública seja garantida em nossa comunidade".

Todos os negócios relacionados com essa droga precisam de uma licença municipal e outra do estado, segundo a lei que despenalizou o cultivo, venda e consumo recreativo na Califórnia.

Feuer abriu 120 casos criminais contra 515 pessoas vinculadas com 105 estabelecimentos nesta cidade que concentra, segundo especialistas, o maior mercado de cannabis do mundo.

Segundo Feuer, os casos envolvem principalmente pontos de venda (já foram fechados 23), mas também lugares de cultivo, laboratórios de extração e serviços de distribuição.

Os acusados podem ser condenados a até seis meses de prisão e uma multa de 1.000 dólares.

A nova lei permite a qualquer pessoa maior de 21 anos comprar até 28,3 gramas de maconha; já não é necessário ter receita médica. Não se pode consumir em locais públicos ou enquanto se dirige um carro, nem a menos de 300 metros de uma escola ou de um lugar com crianças.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade