Publicidade

Estado de Minas

Ex-assessor de Trump é condenado a 14 dias de prisão por mentir sobre Rússia


postado em 07/09/2018 18:36

George Papadopoulos, assessor de política externa da campanha eleitoral do presidente Donald Trump foi condenado a 14 dias de prisão nesta sexta-feira, por mentir no âmbito de uma investigação sobre uma possível interferência russa nas eleições americanas.

Papadopoulos "mentiu em uma investigação que era importante para a segurança nacional", disse o juiz federal Randolph Moss, que também estabeleceu uma multa de 9.500 dólares.

A sentença inclui também um ano de liberdade supervisionada e 200 horas de serviços comunitários.

Aos 31 anos, Papadopoulos admitiu, em outubro do ano passado, ser culpado de prejudicar os investigadores para ocultar a verdade sobre seus encontros com enviados da Rússia aos Estados Unidos, meses antes da eleição presidencial.

Ele afirmou que os principais membros da campanha de Trump lhe estimularam, em 2016, a criar laços com a Rússia, mesmo depois de ele ter dito que Moscou tinha e poderia compartilhar informações comprometedoras sobre a rival de Trump, a democrata Hillary Clinton.

O FBI, que já estava investigando a interferência da Rússia na campanha presidencial dos Estados Unidos em 2016, abriu uma linha sobre o possível conluio com a equipe de campanha de Trump após descobrir a natureza dos intercâmbios entre Papadopoulos e os intermediários da Rússia.

Esses temas agora são o centro da investigação do procurador especial Robert Mueller, que ameaça cada vez mais pessoas do círculo próximo de Trump e o próprio presidente.

Das 35 pessoas e entidades acusadas até agora, Papadopoulos é um dos cinco que admitiram a culpa e o segundo a ser condenado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade