Publicidade

Estado de Minas

Agressor de Bolsonaro agiu por 'motivos pessoais' e por 'ordem de Deus'


postado em 06/09/2018 23:00

O autor do ataque contra Jair Bolsonaro disse que agiu por "motivos pessoais" e "por ordem de Deus", revela o relatório da Polícia Militar de Minas Gerais sobre o incidente ocorrido nesta quinta-feira, na cidade de Juiz de Fora.

"Nos afirmou que o motivo da tentativa foi pessoal, que não iríamos entender, e em certos momentos declarou que agiu por ordem de Deus", detalha o relatório da PM sobre o ataque ocorrido às 15H00 desta quinta-feira, quando Bolsonaro participava de um ato de campanha no centro de Juiz de Fora.

O relatório precisa que o agressor, identificado como Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, "saiu de sua casa com uma faca de uso pessoal" para participar da caminhada e "no melhor momento atentar contra a vida do candidato".

Em declarações à TV Globo, o advogado Pedro Augusto Lima Possa, que representa Bispo de Oliveira, disse que seu cliente agiu "por motivações religiosas, de tipo político e também em relação ao desprezo que Bolsonaro sempre mostra quando fala de raça, religião e contra a mulher".

Em seu perfil do Facebook, Bispo de Oliveira publicou recentemente várias mensagens críticas a Bolsonaro e aparece muito alinhado aos partidos de esquerda do Brasil e ao governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

A AFP apurou junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que Bispo de Oliveira foi filiado ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) em Uberaba entre 2007 e 2014.

O PSOL repudiou o atentado e pediu às autoridades que tomem "todas as medidas pertinentes contra o autor" do ataque.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade