Publicidade

Estado de Minas

Trump nega ter cogitado assassinato de Assad


postado em 05/09/2018 16:30

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, negou nesta quarta-feira (5) ter debatido um possível assassinato do presidente sírio, Bashar al-Assad, afirmação feita no novo livro do jornalista investigativo do Washington Post Bob Woodward.

"Nunca se discutiu isso", disse Trump a repórteres no Salão Oval após um encontro com um emir do Kuwait.

Em seu novo livro, "Fear: Trump in the White House", Woodward conta que o presidente disse ao secretário da Defesa, Jim Mattis, que queria matar Assad após um ataque químico contra civis em abril de 2017.

"Vamos matá-lo, porra! Vamos! Vamos matar muitos deles", segundo Woodward atribuiu a Trump.

O jornalista escreveu que Mattis disse ao presidente que "iria direto ao ponto", mas depois voltou atrás com os planos de um ataque aéreo mais limitado.

Conselheiros de Trump e da Casa Branca atacaram o livro como cheio de "histórias inventadas", e em um tuíte nesta quarta-feira, o presidente questionou o motivo pelo qual o Congresso não muda as leis sobre difamação.

"O livro não significa nada. É uma obra de ficção", declarou Trump, após Mattis e o chefe de gabinete da Casa Branca, John Kelly, terem emitido declarações negando o relato do livro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade