Publicidade

Estado de Minas

Cerca de 10.000 migrantes menores de idade estão na Espanha sem família


postado em 05/09/2018 13:48

O governo da Espanha estima que cerca de 10.000 imigrantes menores de idade estejam no país desacompanhados e, por isso, vai desbloquear 40 milhões de euros para melhorar sua atenção a esse grupo - anunciou o Ministério da Saúde nesta quarta-feira (5).

O orçamento anunciado será distribuído entre as 17 regiões do país, para que se encarreguem da "atenção e da acolhida solidária" de todos esses menores não acompanhados.

A medida será alvo de um decreto, que o Executivo pretende aprovar em até um mês e meio.

O governo socialista de Pedro Sánchez tomou a iniciativa, de caráter "excepcional", diante do "aumento do número de chegadas dos últimos meses", indicou a nota do Ministério.

Em abril, o governo anterior havia anunciado algo em torno de 6.200 menores, contra os 4.000 registrados em 2016.

Essas crianças e adolescentes - a maioria procedente do Marrocos - estão sob tutela das regiões, principalmente na Andaluzia, voltada para o território marroquino, e os enclaves norte-africanos de Ceuta e Melilla.

O governo também quer que as regiões adotem um mesmo modelo de acolhida, depois das críticas dos últimos anos, sobretudo, em Melilla.

Nessa cidade, governada pelos conservadores, vários jovens marroquinos dormem nas ruas, à espera de conseguirem subir clandestinamente em alguma embarcação e chegarem à Europa.

Em Ceuta, o porta-voz do governo local, Jacob Hachuel, também conservador, sugeriu recentemente que os menores marroquinos desacompanhados sejam devolvidos para seu país de origem, alegando que "o melhor lugar onde podem estar é em seu entorno familiar".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade