Publicidade

Estado de Minas

Guatemala proíbe entrada de chefe de comissão da ONU que investiga corrupção


postado em 04/09/2018 18:54

O presidente da Guatemala, Jimmy Morales, ordenou proibir a entrada no país do chefe de uma comissão da ONU contra a impunidade, o colombiano Iván Velásquez, quatro dias depois de anunciar que não renovará o mandato da missão.

"Em consenso, o Conselho de Segurança Nacional recomendou ao presidente da Guatemala, Jimmy Morales, proibir a entrada em território nacional do senhor Iván Velásquez por considerá-lo uma pessoa que atenta contra a ordem e a segurança pública", indicou o governo guatemalteco em um comunicado.

Velásquez está nos Estados Unidos, para onde viajou na segunda-feira, para fazer reuniões em Washington e Nova York, confirmou o porta-voz da Comissão Internacional Contra a Impunidade na Guatemala (Cicig).

O documento oficial afirma que o ex-juiz colombiano afeta a "governabilidade, institucionalidade, justiça e paz no país".

Na sexta-feira passada, o governante cercado por policiais e militares surpreendeu a população ao anunciar que não renovará o mandato da Cicig, que o investiga por suposto financiamento ilícito nas eleições de 2015, nas quais foi eleito.

Durante a campanha, Morales prometeu estender até 2021 a validade da Cicig, que deve renovar seu mandato a cada dois anos.

A nota afirma que o presidente já informou o secretário-geral da ONU, António Guterres, da decisão de impedir o retorno de Velásquez à Guatemala.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade