Publicidade

Estado de Minas

Exército afegão luta em Ghazni para expulsar talibãs


postado em 10/08/2018 18:12

O exército afegão lançou na tarde desta sexta-feira (10) operações para encontrar os últimos combatentes talibãs em Ghazni, atacada durante a noite por talibãs, cuja presença levou terror à população.

Ghazni, capital da província de mesmo nome, a duas horas de carro ao sul de Cabul, é a segunda capital provincial dominada pelos talibãs em menos de três meses, após Farah (oeste), que caiu em 15 de maio mas foi rapidamente retomada pelo Exército.

O hospital civil de Ghazni recebeu "16 mortos, entre eles 14 soldados, e 33 feridos que são 25 membros das forças de segurança e oito civis", declarou à AFP seu encarregado, Baz Mohamad Himat.

As forças dos Estados Unidos, que lançaram uma ofensiva aérea em apoio às forças afegãs, afirmaram que os combates tinham terminado na manhã desta sexta-feira, mas o correspondente da AFP na cidade ouviu tiros de armas automáticas na primeira hora da tarde.

"Nossos comandos e as forças do exército afegão intervêm para expulsar os talibãs que tomaram posições em casas de civis", confirmou Mohamad Radmanesh, porta-voz do ministério da Defesa, acrescentando que as forças de segurança agora controlam a cidade.

Segundo o chefe da polícia local, Farid Ahmad Marshal, contatado pela AFP na sexta, "os combatentes talibãs lançaram o ataque ontem (quinta-feira) às 23H00, investindo contra as barreiras de segurança que circundam a cidade. Os combates continuam com as forças de segurança".

"Avançaram pela cidade e dispararam morteiros contra as casas", declarou o porta-voz do governador provincial, Arif Noori, mencionando vários mortos e feridos entre os soldados, além de 30 entre os talibãs.

"Aconteceram ataques múltiplos contra os edifícios do governo, mas os combates terminaram às 08H00. As forças americanas responderam com apoio aéreo de proximidade (com helicópteros de ataque) e executaram bombardeios com drones", afirmou o porta-voz das tropas dos Estados Unidos, o tenente-coronel Martin O'Donnell.

"As forças afegãs controlam a região. Foi uma nova tentativa em vão dos talibãs para conquistar território e aparecer nos jornais", completou.

- "Estão por todos os lados" -

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, afirmou em um comunicado que "este ataque é parte da ofensiva de primavera" iniciada em maio.

"Centenas de mujahedines, equipados com armas pesadas, tomaram os postos de controle da cidade", anunciou.

No total, "140 membros das forças inimigas foram abatidos ou feridos e as perdas entre os mujahedines são pequenas", afirmou o porta-voz, em uma declaração que está de acordo com os exageros característicos dos talibãs.

No Facebook, "Yasan", um morador de Ghazni, indicou que "os talibãs estão na cidade e usam os alto-falantes da mesquita para dizer à população que permaneça em casa. Ouvimos fortes explosões e tiros, estamos aterrorizados".

"Não podemos sair", confirmou à AFP o comerciante Mohamad Haleem.

"Os talibãs estão por todos os lados, impedem a nossa saída".

Desde que os talibãs conseguiram assumir por algumas horas, em duas oportunidades, o controle de Kunduz, a capital econômica do norte do país, em outubro de 2015 e 12 meses depois, as Forças Armadas afegãs passaram a concentrar os esforços ao redor das capitais provinciais.

A entrada dos insurgentes em Ghazni, perto de Cabul, acontece menos de três meses após a ocupação por um dia de Farah.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade