Publicidade

Estado de Minas

John se torna furacão de categoria 2 em frente ao Pacífico mexicano


postado em 08/08/2018 02:00

O furacão de categoria 2 John soprava em frente ao sul do estado mexicano de Baixa Califórnia e promete perder força nesta quarta-feira, apesar de causar inundações e correntes de retorno nos litorais, mesmo sem tocar diretamente a terra firme, informaram meteorologistas.

John, que absorveu a tempestade tropical Ileana, que se deslocava paralelamente a ele, sopra com ventos de 165 Km/hora, se situa 430 km ao sul da Baixa Califórnia e se afasta mar adentro em direção ao noroeste, segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC).

O furacão poderia passar perto do sudeste de Baixa Califórnia Sul entre quarta e quinta-feira, "e deve se debilitar a partir desta quarta-feira e até a sexta", avaliou o NHC, com sede em Miami.

Outras duas tempestades sopram em uma temporada ativa para o Pacífico.

Hector, um furacão de categoria 4 (em uma escala de 1 a 5) passa perto da ilha americana do Havaí sem representar uma ameaça para os moradores, enquanto a tempestade tropical Kristy, no meio do oceano, promete se transformar em furacão nos próximos dois dias, segundo o NHC do Pacífico Central em Honolulu.

Hector sopra com ventos máximos sustentados de 215 Km/hora e se desloca em direção ao oeste, roçando o sul das ilhas havaianas, enquanto Kristy se move para o norte com ventos de 85 Km/hora.

Entretanto, John e os remanescentes de Ileana causam chuvas fortes nos estados ocidentais do México, com ventos de "até 60 km/h e ondas elevadas de dois a quatro metros de altura sobre as costas da Baixa Califórnia Sul, Sinaloa, Nayarit, Jalisco, Colima e Michoacán", detalhou a Comissão Nacional da Água do México (Conagua) em um comunicado.

A Conagua também recomendou aumentar as precauções por chuvas, vento e ondas ao público geral e à navegação marítima.

As autoridades colocaram bandeiras vermelhas em todas as praias de Los Cabos, um popular destino turístico em Baixa Califórnia Sul, à espera de ondas "de até cinco metros de altura provocadas pela proximidade do furacão John", disse Carlos Alfredo Godínez León, titular da Unidade Estatal de Defesa Civil.

Também fecharam os portos para qualquer tipo de navegação no município.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade