Publicidade

Estado de Minas

Constituinte na Venezuela levará deputados à Justiça por 'atentado' contra Maduro


postado em 07/08/2018 23:48

A Assembleia Constituinte da Venezuela iniciará nesta quarta-feira um processo para submeter à Justiça deputados opositores acusados do alegado atentado contra o presidente Nicolás Maduro, informou o organismo que rege o país com poderes absolutos.

O presidente da Constituinte, Diosdado Cabello, convocou uma sessão que terá como ponto único o "cancelamento da imunidade parlamentar dos deputados envolvidos no magnicídio frustrado" contra Maduro.

"A Justiça chega e vem com tudo", declarou Cabello.

Pouco antes do anúncio, o partido opositor Primeiro Justiça denunciou que o deputado Juan Requesens foi detido nesta terça-feira pelo serviço de inteligência da Venezuela.

"Foram sequestrados por 14 homens do Sebin (Serviço Bolivariano de Inteligência) sob golpes o deputado Juan Requesens" e sua irmã Rafaela, revelou o partido em sua conta no Twitter.

Requesens, 29 anos, havia discursado nesta terça-feira no Parlamento convocando a população a "tirar Nicolás Maduro, a acabar com esta tragédia".

"Vamos poder receber todos os venezuelanos que estão loucos para voltar ao país. Os que permanecem aqui não têm outra alternativa que seguir esticando a corda até que rompa e possamos tirar Nicolás Maduro".

Mais cedo nesta terça-feira, em rede nacional, Maduro acusou Requesens e o ex-presidente do Parlamento Julio Borges - também do Primeiro Justiça - pelo "atentado" que no sábado passado teria utilizado drones carregados com explosivos, durante uma parada militar em Caracas.

No exílio, Borges é uma das figuras mais destacadas da oposição venezuelana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade