Publicidade

Estado de Minas

Crise na Nicarágua afetou projetos e desembolsos do BID


postado em 07/08/2018 15:12

Os protestos contra o governo que abalam a Nicarágua desde abril, e cuja violenta repressão gerou críticas internacionais, afetaram o trabalho do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no país, mas sua direção ainda não considerou suspender os desembolsos dos empréstimos, anunciou o organismo nesta terça-feira (7).

O BID acompanha "de perto" os eventos na Nicarágua, que afetaram sua gestão no terreno e levaram à retirada de pessoal não essencial do escritório de Manágua por razões de segurança, disse um porta-voz à AFP.

"A crise afetou a preparação e execução de projetos e desembolsos de empréstimos do BID no país. Nossa carteira ativa de empréstimos para investimento na Nicarágua tem um saldo a desembolsar de 624 milhões de dólares", explicou.

A direção do BID, onde estão representados os 48 Estados-membros, pode suspender os desembolsos a um país mutuário, como a Nicarágua, mas não o fez.

"Até a presente data, essa alternativa não foi discutida por nossa direção", diz o porta-voz.

"Continuamos atentos a deliberações sobre a Nicarágua na Organização dos Estados Americanos (OEA) e apoiamos os chamados da comunidade internacional por uma resolução pacífica do conflito político neste país membro do BID", acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade