Publicidade

Estado de Minas

Coreia do Norte liberta sul-coreano detido em julho


postado em 07/08/2018 05:54

A Coreia do Norte libertou nesta terça-feira um sul-coreano detido em julho por "entrar ilegalmente" no país, anunciou o ministério para a Unificação da Coreia do Sul, mais um sinal do avanço nas relações entre os dois Estados após uma reunião de cúpula em abril.

O regime de Pyongyang informou na segunda-feira ao governo de Seul a decisão de libertar o homem, detido por atravessar a fronteira em 22 de julho, indicou o ministério em um comunicado.

"Nosso lado recebeu na terça-feira um cidadão sul-coreano chamado Seo, nascido em 1984, em Panmunjom às 11H00" (23H00 de Brasília, segunda-feira), afirmou o ministério, em referência à localidade na zona desmilitarizada que divide os dois países.

"O governo aprecia positivamente a repatriação (...) feita por razões humanitárias", completa a nota oficial, sem apresentar mais detalhes.

As relações entre as duas Coreias melhoraram consideravelmente após a reunião de cúpula entre os governantes dos dois países em abril.

Uma fonte ministerial que pediu anonimato afirmou à agência de notícias Yonhap que o homem estava sendo interrogado pelas autoridades sul-coreanas.

"Temos que investigar por quê entrou na Coreia do Norte e como chegou lá", disse.

Além de Seo, outros seis sul-coreanos - três missionários cristãos e três desertores procedentes do Norte - foram detidos por Pyongyang desde 2013. Seul insiste na libertação de todos.

O regime norte-coreano liberou três presos americanos em maio, em um aparente gesto de boa vontade antes do encontro de cúpula entre o líder do país, Kim Jong Un, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Singapura.

Desde a reunião de junho, as relações entre Estados Unidos e Coreia do Norte melhoraram, mas a prometida desnuclearização não parece avançar e Washington insiste na necessidade de manter severas sanções contra Pyongyang.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade