Publicidade

Estado de Minas

Preso suposto participante de crime na fronteira de Colômbia e Equador


postado em 05/08/2018 17:18

As autoridades colombianas prenderam um suposto dissidente da ex-guerrilha Farc, acusado de participar do assassinato e incineração de um grupo de agentes judiciais em julho na fronteira com o Equador, informaram neste domingo (5) fontes oficiais.

O suspeito, chamado de "Niño Richi", integrante da Frente Oliver Sinisterra que se afastou do processo de paz da outrora guerrilha comunista, foi preso no município de Tumaco, estado de Nariño, por unidades do Exército, afirmou o Ministério da Defesa no Twitter.

"Este sujeito, aparentemente teria incinerado os corpos" de dois dos três agentes judiciais assassinados em 11 de julho numa área próxima de Tumaco, município com mais narcocultivos do mundo, acrescentou a fonte oficial.

Os agentes do Corpo Técnico de Investigações (CTI) do Ministério Público tinham sido morto a tiros por um comando que interceptou seu veículo na estrada que liga a cidade de Pasto a Tumaco.

Desde o princípio das investigações, as autoridades apontaram a Frente Oliver Sinisterra como responsável pelo ataque. Em 12 de julho, anunciaram a captura de 14 supostos dissidentes envolvidos no crime.

A organização é comandada por Walther Arizala, chamado de "Guacho", um ex-integrante da Farc que se afastou do acordo de paz de 2016.

Apontado pelas autoridades colombianas por atuar como braço armado do cartel de Sinaloa, no México, o grupo de Guacho é uma das muitas gangues que disputam o controle do narcotráfico em Nariño.

Além disso, ele é acusado de assassinar um casal equatoriano em cativeiro e uma equipe jornalística do jornal El Comercio de Quito.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade