Publicidade

Estado de Minas

Calor no Ártico derrete cume mais alto da Suécia


postado em 01/08/2018 19:12

O cume mais alto da Suécia, uma geleira no extremo sul da montanha Kebnekaise, está derretendo devido às altas temperaturas do Ártico e já não é o ponto mais alto do país, indicaram cientistas nesta quarta-feira.

"Nunca havia visto tanta neve derretida no pico sul como neste verão", disse Gunhild Ninis Rosqvist, professora de geografia da Universidade de Estocolmo.

Rosqvist, que também dirige a estação de pesquisa de Tarfala, perto da montanha, mediu o pico sul durante anos como parte de uma pesquisa sobre as mudanças climáticas.

Kebnekaise, um popular destino turístico no extremo norte da Suécia, tem dois picos principais, o do sul, coberto por uma geleira, e o do norte, sem gelo.

Rosqvist disse que o pico sul perdeu quatro metros de neve entre 2 e 31 de julho.

Isto significa que a cada dia de julho perdeu em média 14 centímetros de neve, que derreteu em um momento em que a Suécia registrou marcas históricas de altas temperaturas, que provocaram dezenas de incêndios neste país.

"Isto está acontecendo muito rápido. O resultado deste verão quente será um recorde em perda de neve e gelo nas montanhas", disse Rosqvist.

Em sua última medição, o pico sul atingiu 2.097 metros sobre o nível do mar, apenas 20 centímetros mais alto que os 2.096,8 metros do extremo norte.

"A previsão é que a partir de 1º de agosto o pico sul será mais baixo que o pico norte".

No ano passado, a diferença entre os dois picos era de dois metros.

A geleira sul, que foi medida desde 1880, foi derretendo a um ritmo de um metro por ano nas duas últimas décadas, detalhou a Universidade de Estocolmo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade