Publicidade

Estado de Minas

Goldman Sachs dá o Brasil como campeão da Copa


postado em 11/06/2018 11:12

O banco de investimento Goldman Sachs, que aplica suas fórmulas de probabilidades estatísticas no mundo financeiro para traçar classificações de risco nos investimentos, publicou nesta segunda-feira um informe no qual prevê que o Brasil será o campeão mundial na Rússia-2018

"O Brasil vai ganhar sua sexta Copa do Mundo, derrotando a Alemanha em 15 de julho na final", prognostica o organismo financeiro americano, que se baseia em um estudo com não menos de "200.000 modelos" de "machine learning" (aprendizagem automática), explorando "dados sobre as características das equipes, jogadores e rendimentos recentes", entre outros elementos.

A equipe liderada por Neymar é a grande favorita frente à seleção que no Mundial do Brasil a derrotou por 7-1 nas semifinais.

Da mesma forma, o banco acredita que a França tem uma probabilidade maior de vencer que a dos defensores do título (11,3% contra 10,7%), mas o sorteio não a ajudou. Nas semifinais, deverá cruzar com o Brasil, depois de derrotar a Espanha nas quartas de final, segundo o banco.

Em suas previsões, Portugal de Cristiano Ronaldo, atual campeão da Europa, vai passar pela Argentina nas quartas, mas cairá ante a Mannschaft nas semifinais.

A Goldman Sachs, no entanto, resolveu tomar a precaução de destacar que "as previsões são altamente incertas".

De fato, em 2014, este mesmo estudo prognosticava que a Seleção brasileira venceria o torneio.

O banco também divulgou a seleção ideal do Mundial, depois de uma votação de seus clientes em todo o planeta.

Sem surpresas, Messi-Ronaldo-Neymar formam o ataque. O Real Madrid forneceu outros três jogadores (Toni Kroos, Marcelo e Sergio Ramos). Os alemães Joshua Kimmich e Mats Hummels também fazem parte da equipe.

O espanhol David de Gea defende o gol e o técnico modelo seria o alemão Joachim Löw.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade