Publicidade

Estado de Minas

Direita italiana liderada pela Liga registra nova vitória eleitoral


postado em 11/06/2018 08:18

Liderada pela Liga (extrema direita), a coalizão de direita italiana registrou uma nova vitória nas urnas nas eleições municipais parciais, tomando várias cidades e deixando as demais siglas políticas para trás.

Ao todo, 6,7 milhões de eleitores foram convocados para essas eleições locais em 760 cidades e em duas das 15 circunscrições de Roma - um primeiro teste para os partidos que apoiam o novo governo italiano.

Os prefeitos em final de mandato nas cidades mais importantes em disputa - Catânia, Siena, Pisa, Brescia e Vicenza - eram todos de centro-esquerda, apoiados pelo Partido Democrata (PD).

Maior das cidades que foram às urnas, com 294.000 habitantes, Catânia passou para a direita, assim como Vicenza. A esquerda conseguiu conservar Brescia, e haverá segundo turno entre esquerda e direita em Siena e em Pisa.

Em Messina (243.000 habitantes), cujo prefeito era um pacifista que liderava uma lista cívica, estão na briga dois candidatos de direita, ou talvez um de esquerda, a depender dos resultados definitivos que ainda não foram divulgados.

O Movimento 5 Estrelas (M5S, populista), que chegou em primeiro nas legislativas de 4 de março com mais de 32% dos votos, está ausente das disputas nas principais cidades.

Em Pisa, o M5S obteve 10% dos votos, segundo os resultados parciais, e 13%, em Messina.

Em Roma, onde a prefeita é há dois anos Virginia Raggi, membro do M5S, o movimento está ausente da corrida eleitoral em duas circunscrições que elegem prefeito.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade