Publicidade

Estado de Minas

Ex-chefe de campanha de Trump é alvo de nova acusação


postado em 08/06/2018 17:30

O ex-chefe de campanha de Donald Trump Paul Manafort, à espera de seu julgamento por lavagem de dinheiro, fraude fiscal e bancária e lobbying ilegal, como parte da investigação sobre a interferência da Rússia na eleição presidencial de Estados Unidos, foi denunciado nesta sexta-feira de obstrução à justiça.

Junto com ele também foi denunciado um de seus ex-colaboradores próximos, um russo chamado Konstantin Kilimnik, segundo a denúncia assinada pelo procurador especial Robert Mueller.

Os dois homens são suspeitos de tentar de subornar duas testemunhas nesta investigação sobre suas atividades nas eleições de 2016.

Os supostos fatos levaram Mueller a solicitar a revogação da liberdade condicional outorgada a Manafort, ou pelo menos o endurecimento de seu controle judicial. Na próxima semana haveria uma audiência junto ao juiz sobre este tema.

Segundo a denúncia, Manafort, Kilimnik e outros encabeçaram uma campanha de lobbying a favor do governo do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovych, com o apoio de Moscou. Esta operação incluiu o pagamento de mais de dois milhões de euros a ex-funcionários europeus.

Manafort, que nega as acusações, deve comparecer em dois julgamentos separados, em julho e setembro.

A investigação sobre a interferência russa na campanha presidencial dos Estados Unidos entrou em seu segundo ano e continua pesando sobre a presidência de Trump, que regularmente denuncia uma "caça às bruxas".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade