Publicidade

Estado de Minas

Paul Dacre deixa o Daily Mail após 26 anos


postado em 07/06/2018 17:12

Força decisiva do Brexit, Paul Dacre deixa a direção do tabloide britânico Daily Mail após 26 anos no cargo.

Jonathan Harmsworth, presidente da empresa do Daily Mail, definiu-o como "o melhor diretor de sua geração" e seus detratores e defensores coincidiram em que sua saída marca o fim de uma era.

Sob sua direção, o jornal ficou conhecido por suas campanhas contra a imigração e a União Europeia (UE), exercendo uma influência sobre o Partido Conservador que lembrava o poder que a imprensa tinha em outros tempos.

Kevin Maguire, sub-diretor do jornal de esquerda Daily Mirror, descreveu Dacre como "o Padrinho de Fleet Street" - a rua de Londres onde os grandes meios britânicos tinham sua sede -, e estimou que "o catastrófico Brexit foi sua última vitória".

Antes do referendo de 2016 sobre a UE, o então primeiro-ministro, David Cameron, partidário da permanência, chegou a pedir a Dacre que lhe desse "um respiro", segundo a BBC.

Dacre se negou, e Cameron pediu a Jonathan Harmsworth que o despedisse, o que enfureceu o diretor e o levou "a endurecer" ainda mais suas manchetes e artigos contra a UE, revelou uma fonte à BBC.

Embora o Daily Mail tenha sido alvo de críticas por sua incorreção política deliberada, o jornal tem um longo histórico de campanhas a favor dos direitos civis e ambientais.

Sua luta para que se fizesse justiça no assassinato racista do jovem negro Stephen Lawrence em 1993, e a má gestão da polícia naquele caso, levaram a uma capa famosa.

"Assassinos: o Mail acusa estes homens de assassinato. Se nos equivocamos, deixem que nos processem", afirmava a primeira página em 14 de fevereiro de 1997, em cima das fotos de cinco jovens brancos suspeitos do crime que não tinham sido condenados.

Apesar da forte queda das vendas de jornais nos últimos anos, o Daily Mail ainda vende 1,28 milhão de cópias com sua mistura de política, celebridades e opinião dirigida ao inglês médio, atrás apenas do The Sun, que vende 1,49 milhão.

The Daily Mail and General Trust (DMGT), a empresa proprietária do tabloide, anunciou na quarta-feira que Dacre deixará o cargo em novembro e passará a ocupar outras funções na companhia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade