Publicidade

Estado de Minas

Outro padre chileno acusado de pedofilia é suspenso pelo Vaticano


postado em 06/06/2018 20:00

O sacerdote chileno Ramón Iturra, da localidade de Constituición (sul), foi suspenso nesta quarta-feira (6) pelo Vaticano depois de ter sido denunciado - no ano passado - por abusos sexuais a um menor de idade, cometidos entre 1987 e 1988, informou a Igreja.

A Santa Sé declarou verossímil a denúncia feita contra o presbítero Iturra e ordenou "a medida cautelar, que é a proibição de exercer publicamente o Ministério Sacerdotal, até a sentença definitiva", segundo comunicado da Diocese de Linares, cidade localizada a 300 quilômetros ao sul de Santiago.

Iturra foi acusado por Cristián Alcaíno, ex-acólito da paróquia de Constituición, de ter abusado sexualmente dele quando tinha 11 anos. Alcaíno comunicou o caso à Diocese de Linares que, segundo o bispo Tomislav Koljatic, foi repassado ao Vaticano em junho de 2017.

Depois disso, Alcaíno não obteve resposta, pelo qual entregou uma carta com sua denúncia ao Papa Francisco e ao bispo de Malta Charles Scicluna, que chegou ao Chile em abril deste ano para investigar o suposto encobrimento dos abusos sexuais cometidos pelo influente padre Fernando Karadima.

Além da suspensão de Iturra, o Vaticano ordenou "ampliar a investigação a outras paróquias onde este sacerdote exerceu seu cargo ministerial" e solicitou "a colaboração de qualquer pessoa que possa fornecer antecedentes pertinentes ou relevantes nesta causa".

Scicluna voltará ao Chile na semana que vem junto com o sacerdote Jordi Bartomeu para visitar Santiago e Osorno.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade