Publicidade

Estado de Minas

Empresários americanos se preocupam com tensões comerciais


postado em 05/06/2018 19:36

As tensões entre Washington e seus parceiros comerciais preocupam os grandes executivos americanos, que estão menos propensos a investir e contratar pessoal.

O índice que mede a confiança da mídia empresarial recuou 7,5 pontos, a 111,1, no segundo trimestre, contra 118,6 pontos no primeiro trimestre, de acordo com um estudo divulgado nesta terça-feira pela entidade patronal Business Roundtable.

É a primeira queda em quase dois anos desse indicador, destaca a entidade, que atribui o resultado às "crescentes incertezas em relação à política governamental de livre-comércio".

Larry Kudlow, principal assessor econômico da Casa Branca, disse nesta terça que já informou aos canadenses que o presidente Donald Trump prefere negociar acordos de livre-comércio bilaterais com Canadá e México para substituir o Nafta, atualmente em negociação.

O México já disse que prefere manter o formato trilateral e uma fonte canadense declarou que, "por enquanto", Ottawa também é favorável a isso.

A ideia de acordos bilaterais com o Canadá e o México não satisfaz os empresários, que precisam de certeza para tomar decisões.

"A política comercial não afeta apenas as decisões, mas cria incerteza, e a incerteza não é uma boa amiga da economia", disse à imprensa Jamie Dimon, CEO do banco JPMorgan Chase e presidente da Business Roundtable

A vitalidade atual e futura da economia americana depende de negociações produtivas com a China e de alcançar uma modernização do Nafta", disse Joshua Bolten, diretor-geral da entidade.

Dimon e Bolten pediram medidas comerciais que "favoreçam a concorrência", deem fim à incertezas e "gerem mais oportunidades para os assalariados e as famílias americanas".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade