Publicidade

Estado de Minas

Ex-chefe de campanha de Trump é acusado de manipulação de testemunhas


postado em 05/06/2018 10:30

Paul Manafort, ex-chefe de campanha de Donald Trump que enfrenta várias acusações por lavagem de dinheiro e fraude fiscal no âmbito da investigação sobre a ingerência russa na campanha eleitoral presidencial americana, foi acusado de tentar manipular testemunhas.

A acusação foi feita na segunda-feira à noite e, segundo o procurador especial responsável pelo caso, Robert Mueller, Manafort entrou em contato com testemunhas por telefone, ou por mensagens criptografadas para tentar convencê-las a dar "falsos testemunhos".

Essa atividade viola os termos de sua liberdade sob fiança e pode levá-lo à prisão preventiva, mesmo antes de ir a julgamento, declara o procurador no documento enviado para um juiz.

Em fevereiro, Manafort se declarou inocente das acusações de lavagem de dinheiro e de lobby ilegal, sobre as quais deverá começar a ser julgado em 17 de setembro.

E, em março, ele também se declarou inocente de fraude fiscal e bancária, acusações cujo processo judicial se inicia em 10 de julho.

A investigação sobre a ingerência russa na campanha presidencial de 2016 está em seu segundo ano e continua dominando a vida política americana. Até agora, isso se traduziu em 22 indiciamentos, sendo 16 de pessoas, ou empresas russas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade