Publicidade

Estado de Minas

Desolação em povoado guatemalteco arrasado por vulcão


postado em 04/06/2018 19:54

"Tem alguém precisando de ajuda?" - gritavam socorristas nesta segunda-feira (4), em uma comunidade do sul da Guatemala, com a esperança de encontrar sobreviventes em meio à devastação deixada pela erupção do Vulcão de Fogo, que já matou 62 pessoas.

Bombeiros, soldados e policiais abriam passagem entre os tetos das casas destruídas pela enxurrada de terra e cinza ardente que, no domingo, provocou pânico na pequena comunidade de San Miguel Los Lotes, na cidade de Escuintla.

Enquanto a busca continuava nas regiões devastadas, na praça do povoado indígena sete caixões de quatro menores de idade e de três adultos eram velados com um crucifixo e altares de flores.

"Embora doa aceitar, é a vontade de Deus", disse à AFP Ana Celada, tia das crianças Jenifer e Mildred Morales, de três e seis anos, que morreram na aldeia El Porvenir. Por recomendação das autoridades de Saúde, as vítimas serão enterradas nas próximas horas no cemitério local.

Em Los Lotes, Eufemia García, de 48 anos, chora ao enumerar os 10 membros de sua família, entre eles seus três filhos, que ficaram presos no momento que sua casa foi atingida.

"Eu queria voltar por eles, eu queria voltar", repetia aflita.

Apesar da insistência dos socorristas para encontrar sinais de vida, os esforços parecem em vão diante da magnitude do desastre.

Por indícios de outros deslizamentos no vulcão, as tarefas foram suspensas momentaneamente e todos no epicentro do desastre deveriam deixar o local.

O panorama é desolador em toda a área. Cachorros e gatos também morreram queimados e os animais de estimação que ficaram vivos se refugiam nas casas, enquanto alguns são resgatados por seus donos apesar dos riscos.

Um grupo de moradores do local com panos nos rostos se protegia da poeira e tentava encontrar amigos e vizinhos entre os escombros. Na estrada, quatro veículos quase completamente destruídos e presos entre a espessa cinza evocavam a dimensão da tragédia.

O prefeito de Escuintla, Abraham Rivera, disse à AFP que durante a erupção de domingo o material piroclástico do vulcão transbordou e deu pouco tempo às pessoas para saírem.

Mais de mil moradores de Los Lotes e outras aldeias atingidas aguardam em abrigos sem saber se voltarão a suas casas após o medo e a destruição deixados.

A potência da erupção causou uma chuva de cinzas que se dispersou por várias cidades, provocando o fechamento do aeroporto internacional da capital e a suspensão das aulas nos departamentos de Escuintla (sul), Chimaltenango e Sacatepéquez (oeste), que compartilham a jurisdição do Vulcão de Fogo, de 3.763 metros de altura.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade