Publicidade

Estado de Minas

EUA avalia colocar menores imigrantes em bases militares


postado em 15/05/2018 23:00

Altos funcionários do governo de Donald Trump inspecionaram quatro bases militares americanas para determinar se podem acolher menores que atravessaram ilegalmente a fronteira, revelou nesta terça-feira o Washington Post.

Na semana passada, o secretário de Justiça, Jeff Sessions, advertiu que as pessoas que entrarem ilegalmente nos Estados Unidos com seus filhos serão separadas dos menores.

Citando um e-mail enviado ao Pentágono pelo departamento de Saúde, o Washington Post informou que integrantes do governo federal visitarão bases militares no Texas e no Arkansas.

Segundo o jornal, os menores de 18 anos não acompanhados ou separados de seus pais na fronteira seriam alojados nestas bases.

Durante uma visita à zona de fronteira nos estados do Arizona e Califórnia, na semana passada, Jim Sessions afirmou que qualquer adulto que entrar ilegalmente no país com um filho será processado e separado do menor.

"Se você não quer ser separado do seu filho, não o faça atravessar a fronteira ilegalmente. Não é nossa culpa se você decide isto".

Segundo um funcionário do departamento de Saúde citado pelo Washington Post, os estabelecimentos destinados a estes menores estão com 91% de ocupação e as medidas de combate à imigração clandestina previstas pelo governo vão superlotar estes locais.

Em julho de 2014, os Estados Unidos registraram o pico da entrada de menores procedentes da América Central, com cerca de 60 mil atravessando a fronteira ilegalmente.

No período mais duro da crise, a administração democrata de Barack Obama utilizou bases militares na Califórnia, Oklahoma e Texas para alojar milhares de menores, recordou o Washington Post.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade