Publicidade

Estado de Minas

Ex-ministro do Orçamento francês é condenado por fraude fiscal


postado em 15/05/2018 11:18

O ex-ministro do Orçamento francês Jérôme Cahuzac, que tinha contas ocultas no exterior, foi condenado nesta terça-feira pelo Tribunal de Apelação de Paris a quatro anos de prisão, dois deles em suspenso, por fraude fiscal e lavagem de dinheiro.

Cinco anos depois de ter provocado o pior escândalo do mandato do presidente socialista François Hollande, o ex-símbolo da luta contra a evasão fiscal também foi condenado a pagar uma multa de 300.000 euros (US$ 357.000) e a cinco anos sem poder disputar um cargo eletivo.

Muito provavelmente, Cahuzac não irá para a cadeia. A lei francesa permite essa exceção para sentenças de até dois anos de prisão. Em vez disso, poderá ter que realizar trabalhos comunitários.

Durante seu julgamento, o ex-ministro admitiu que sentia muito "medo de ir para a cadeia". Sua defesa pediu à justiça que não "punisse mais um homem já quebrado", alertando para o risco de suicídio.

Depois de negar em um primeiro momento perante o Parlamento e o presidente Hollande, Cahuzac finalmente admitiu a existência dessas contas milionárias. Por esta razão, teve que renunciar em março 2013 e se aposentou da política.

Desde então, a França reforçou suas ferramentas contra a fraude, com a criação de uma Alta Autoridade para a transparência da vida pública e uma agência anticorrupção.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade