Publicidade

Estado de Minas

Seul 'enganou' mulheres norte-coreanas que fugiram, diz ex-chefe


postado em 11/05/2018 08:06

Doze garçonetes norte-coreanas que fugiram da China para a Coreia do Sul há dois anos foram enganadas pelos serviços secretos sul-coreanos - garantiu, nesta sexta-feira (11), o homem que foi seu chefe, em declarações à televisão da Coreia do Sul.

O regime norte-coreano afirma que as mulheres foram sequestradas, mas o governo sul-coreano sempre disse que foram por vontade própria.

Heo Gang-il, o responsável do restaurante norte-coreano de Ningbo, onde trabalhavam, afirma que foi recrutado pelos serviços secretos sul-coreanos para enganar as garçonetes e obrigá-las a ir para a Coreia do Sul.

"As 12 garçonetes não sabiam para onde iam", disse Heo no programa JTBC's Spotlight, um dos mais conhecidos da televisão sul-coreana. As mulheres se deram conta de seu destino final apenas quando chegaram aos portos da embaixada sul-coreana na Malásia, explicou.

A chegada do grupo de garçonetes à Coreia do Sul, em abril de 2016, chamou atenção dos jornais e foi, na época, considerada a defecção mais importante em anos.

Alguns observadores suspeitam de que a falsa deserção foi orquestrada pela então presidente Park Geun-hye para tentar ganhar votos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade