Publicidade

Estado de Minas

Rebeldes matam dezenas de soldados sudaneses no Iêmen


postado em 07/04/2018 21:30

Dezenas de soldados sudaneses que participam na coalizão militar árabe que apoia o governo do Iêmen morreram em uma emboscada dos rebeldes no norte do país, disseram neste sábado fontes militares e rebeldes.

Segundo fontes militares, os soldados morreram na madrugada de sexta-feira por disparos e artefatos explosivos lançados pelos rebeldes contra seu comboio, perto da cidade de Midi, na província de Hajjah.

"Os soldados sudaneses foram atraídos a uma emboscada pelos rebeldes que lhes permitiu avançar para áreas nas que esperavam para atacá-los", disse uma autoridade iemenita à AFP sob a condição de anonimato.

Os rebeldes huthis informaram deste ataque em seu site Al Masirah, afirmando que dezenas de soldados sudaneses morreram e que carros blindados foram destruídos.

O Sudão não fez, por enquanto, nenhum comentário oficial. Centenas de soldados do país participam na coalizão, à que Cartum se uniu em 2015.

O exército sudanês se abstém de falar de sua operação no Iêmen.

Na quinta-feira, oficiais militares iemenitas disseram que centenas de soldados da Arábia Saudita e do Sudão chegaram ao norte do país para reforçar as tropas mobilizadas em volta do bastião rebelde de Saada, próxima a Hajjah.

As operações se intensificaram desde a chegada destes reforços e se desenvolvem com o apoio da aviação da coalizão. As tropas desta avançaram vários quilômetros, segundo responsáveis iemenitas.

Mas a coalizão tem dificuldades para avançar nas frentes de Marib (centro) e Hodeida (oeste).

O governo do presidente, Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi, foi expulso da capital do Iêmen pelos huthis em 2014.

A guerra no Iêmen deixou mais de 10.000 mortos desde 2015 e provocou uma importante catástrofe humanitária, segundo as Nações Unidas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade