Publicidade

Estado de Minas

EUA: Trump diz que republicanos querem mais do que democratas solução para Daca


postado em 10/02/2018 20:00

São Paulo, 10 - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu neste sábado em sua conta no Twitter que os republicanos querem mais do que os democratas uma solução para o Daca, programa que protege jovens imigrantes de deportação que será extinto no dia 5 de março. "Os Democratas tiveram os três ramos do governo em 2008 a 2011, e eles decidiram não fazer nada sobre o DACA. Eles só querem usá-lo como uma questão de campanha", assinalou.

Ontem, o Congresso norte-americano aprovou o orçamento do país, mas a maioria dos deputados de oposição rejeitou apoiar a medida por ela não incluir uma solução para o Daca. O Congresso e a Casa Branca tentarão na próxima semana chegar a um acordo sobre o assunto.

Trump também voltou a citar notícias para defender que está livre de suspeitas após a divulgação de um memorando do Congresso que alega que o FBI abusou de seus poderes de vigilância durante a investigação sobre possível interferência russa na eleição norte-americana. Ele mencionou comentário de Tom Flitton na Fox News de que "ele (Trump) foi vitimado pela administração Obama, que estava usando todos os tipos de agências, não apenas o FBI e o Departamento de Justiça mas também o Departamento de Estado, para desenterrar sujeira sobre ele nos dias que antecederam a eleição". O presidente dos EUA citou ainda o New York Times sobre a informação de que "um russo vendeu segredos falsos sobre Trump para os EUA pelo preço de compra de US$ 10 milhões, reduzido para US$ 1 milhão a ser pago ao longo do tempo". "Espero que as pessoas estejam vendo e entendendo o que está acontecendo aqui. Tudo está começando a sair", disse Trump.

Trump falou ainda sobre a morte de dois policiais em Westerville, no Estado norte-americano de Ohio, em um ataque a tiros, dizendo que seus sentimentos e orações estão com as famílias e os habitantes do município. (Leticia Pakulski - leticia.pakulski@estadao.com)

(AE)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade