Publicidade

Estado de Minas

Espanha garante que Brexit não vai mudar nada para Gibraltar


postado em 08/02/2018 18:36

O ministro espanhol das Relações Exteriores, Alfonso Dastis, garantiu, nesta quinta-feira (8), que a passagem diária de milhares de pessoas entre Gibraltar e a Espanha não será afetada pelo Brexit, apesar da reivindicação de Madri sobre o território britânico.

"Não vai mudar nada" após a saída do Reino Unido da União Europeia, declarou Dastis em entrevista à AFP.

"Gostaríamos de melhorar a situação, mas pelo menos vai ficar como está, não temos nenhuma pretensão de dificultar a vida das pessoas, nem de fechar porta nenhuma", acrescentou.

Milhares de espanhóis e cidadãos de outras nacionalidades atravessam, diariamente, a fronteira para trabalhar no pequeno território britânico, sobretudo em serviços financeiros e na indústria de jogos digitais. Muitos moradores de Gibraltar fazem o caminho contrário.

O Estreito de Gibraltar, território com mais de 30 mil habitantes situado no extremo sul da Espanha, pertence ao Reino Unido desde 1713, mas Madri reclama há anos sua soberania.

O ditador Francisco Franco fechou a fronteira em 1969 e a livre passagem nos dois sentidos só se restabeleceu plenamente em 1985, 10 anos depois de sua morte.

As relações entre Gibraltar e Madri, que chegou a acusar o território de seu um paraíso fiscal e de ser conivente com o contrabando de tabaco, tiveram altos e baixos.

Dastis reiterou que Madri não quer que a reivindicação espanhola seja um obstáculo para as negociações.

"Somos também os primeiros interessados em manter uma relação que temos entre o Reino Unido e a Espanha, que é muito intensa, e que aspiramos a melhorar em termos de trocas humanas e investimentos", disse Dastis.

- Falta de definição -

No entanto, o ministro disse estar inquieto com "a falta de definição por parte do governo britânico" durante as negociações.

"Agora parece que (Londres) está questionando um período transitório que havia pedido. Esperamos que, no fim, a lógica vença", disse ele.

O governo britânico pediu um período de transição depois de deixar a UE, que lhe permitiria gozar dos direitos, mas também teria que cumprir as obrigações da União sem ter voz, ou voto.

No ano passado, a Espanha recebeu da UE o poder de veto nas negociações do Brexit para tudo o que afeta o território britânico.

"Parece lógico que a aplicação deste acordo entre a UE e o Reino Unido em Gibraltar seja condicionada (...) à resolução de pequenos problemas irritantes", como a possibilidade de uso conjunto do aeroporto de Gibraltar, ou a troca de dados fiscais, disse Dastis.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade