Publicidade

Estado de Minas

Fortes nevascas semeiam o caos na região parisiense


postado em 07/02/2018 16:48

As fortes nevascas no norte da França semearam nesta quarta-feira (7) o caos, especialmente na região de Paris, onde centenas de pessoas passaram a noite bloqueadas nas estradas ou em centros de acolhida.

Após um primeiro dia de tempo ruim que obrigou a fechar a Torre Eiffel, vários voos foram cancelados durante a manhã nos aeroportos parisienses, onde ficaram acumulados até 13 centímetros de neve.

O tráfego ferroviário estava fortemente alterado e a situação nos eixos viários continuava sendo complicada. Ao contrário, o metrô de Paris funcionava praticamente com normalidade.

O Ministério do Interior solicitou aos motoristas que não pegassem seus automóveis "por conta de uma situação excepcional".

- Como uma 'capital escandinava' -

Uma emissora comparou Paris, onde caíram até 12 cm de neve, "a uma capital escandinava".

Uma camada branca cobria as calçadas da capital e de sua região, embora sua espessura esteja longe das registradas em países como Canadá e Rússia.

Esta primeira onda de frio invernal contrasta com as últimas semanas. Janeiro foi o mês mais suave em mais de um século e esteve marcado por uma umidade sem precedentes.

As chuvas provocaram cheias nos rios em várias regiões, especialmente do Sena, em Paris.

Alguns motoristas e vários responsáveis políticos começaram a criticar a falta de preparação das autoridades encarregadas da vias públicas.

Não obstante, o governo se defendeu das críticas. "Devem parar de enganar os franceses" e reconhecer que é "difícil antecipar o número de centímetros de neve que cairá", declarou o porta-voz do Executivo, Benjamin Griveaux.

- Presos sem comer -

Em uma estrada a sudoeste da capital, entre "1.500 e 2.000 pessoas" continuavam bloqueadas e sua evacuação seguia pela manhã, segundo as autoridades.

Muitos abandonaram seus veículos para passar a noite em centros de acolhida improvisados.

Mas alguns preferiram permanecer em seus carros com a esperança de partir o quanto antes. Foi o que aconteceu com Antonio de Lemos, que estava preso desde a tarde de terça-feira "sem comer", disse à AFP.

Foram abertos 46 centros de acolhida na região parisiense para mais de 600 pessoas. Cerca de 700 foram abrigadas em estações de trem e 230 no aeroporto de Orly.

Depois de um recorde de 739 quilômetros de engarrafamentos registrados na terça à tarde na região da capital, pela manhã as filas totalizavam quase 200 quilômetros.

Durante várias horas, os que chegaram ao aeroporto internacional Charles de Gaulle foram informados que os trens até Paris foram cancelados.

"Estava sentado há meia hora em um trem e de repente todo mundo levantou e desceu", disse Paul Farberman, de 66 anos, recém-chegado de Los Angeles. "Adoro Paris. Tomara que consiga chegar!", acrescentou.

As intempéries afetam grande parte do norte da França, com 25 departamentos em estado de alerta de neve e gelo até metade do dia.

O serviço meteorológico prevê que as nevascas se intensifiquem na madrugada de quinta-feira, com uma queda das temperaturas até -10ºC.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade