Publicidade

Estado de Minas

Trump lamenta morte de jogador da NFL por imigrante ilegal


postado em 06/02/2018 16:30

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lamentou nesta terça-feira que um imigrante ilegal tenha matado o jogador de futebol americano Edwin Jackson, aproveitando a oportunidade para pedir que a oposição reforce a segurança nas fronteiras do país.

"Tão vergonhoso que uma pessoa ilegal em nosso país tenha matado o defensor Edwin Jackson. Está é apenas uma de muitas tragédias que poderiam ser prevenidas", escreveu Trump em sua conta no Twitter.

"Precisamos conseguir que os Democratas sejam duros na fronteira e com a imigração ilegal. Rápido!", acrescentou.

Jackson, 26 anos, morreu em acidente de carro no domingo, mesmo dia em que foi disputado o Super Bowl, a final da liga de futebol americano do país (NFL).

O defensor dos Indiana Colts estava parado do lado de fora de um Uber, acompanhado do motorista Jeffrey Monroe, quando um caminhão em alta velocidade bateu no veículo estacionado.

O suspeito dirigia embriagado e foi identificado como Manuel Orrego-Savala, de 37 anos e oriundo da Guatemala.

Orrego-Savala, que inicialmente se apresentou como Alex Cabrera Gonsales, está ilegalmente nos Estados Unidos após ser deportado em duas ocasiões, em 2007 e 2009, segundo comunicado da polícia de Indiana. O suspeito tentou fugir à pé, mas foi preso logo depois.

"Minhas orações e meus desejos estão com a família de Edwin Jackson, um jovem maravilhoso cuja vida foi absurdamente tomada", disse Trump em um segundo tuíte.

O presidente, que venceu as eleições com forte discurso nacionalista, costuma vincular imigrantes ilegais com atos criminosos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade