Publicidade

Estado de Minas

Pai de três vítimas de Nassar tenta agredi-lo em julgamento


postado em 02/02/2018 22:48

O julgamento de Larry Nassar, ex-médico da equipe de ginástica dos Estados Unidos, julgado por abusos sexuais de jovens atletas, foi interrompido nesta sexta-feira em Charlotte (Michigan), quando o pai de três das vítimas tentou agredir o réu.

Randall Margraves se jogou sobre Nassar, após ouvir os depoimentos de duas de suas filhas sobre os abusos sexuais, mas foi contido no chão por agentes da polícia antes de conseguir chegar ao médico, segundo imagens difundidas pela TV.

"Eu quero esse filho da puta!", gritou Margraves, enquanto era algemado.

O incidente ocorreu no segundo dia da audiência da sentença final, na qual dezenas de mulheres aguardavam a vez de depor e contar no tribunal os abusos que sofreram.

Ao menos 265 atletas, incluindo várias medalhistas de ouro olímpicas de ginástica, afirmaram que Nassar, de 54 anos, abusou delas durante duas décadas.

Madison e Lauren Margraves acabavam de dar seu depoimento, indicando que outra irmã também tinha sido vítima de Nassar, quando seu pai pediu à juíza "cinco minutos em um recinto fechado com esse demônio".

A princípio, o comentário gerou risos na sala da audiência, e a juíza Janice Cunningham respondeu: "Não posso fazer isso". Mas então, Margraves se atirou sobre Nassar, que estava sendo levado para fora da sala, interrompendo a sessão.

A audiência foi retomada mais tarde com um pedido de calma por parte de Cunningham.

Margraves foi detido, mas rapidamente liberado. "Estou envergonhado. Não estou aqui para ofuscar minhas filhas", disse ele à juíza. "Perdi o controle. Peço desculpas cem vezes".

Demonstrando compaixão, Cunningham não impôs multa ou sentença de prisão para o homem. "Meu coração está com você e com sua família pelo que passaram", respondeu a magistrada.

Margraves explicou que não sabia de antemão o que suas filhas iriam dizer na corte e que estava tomado pela emoção. "Tenho que escutar isso e ver como Larry Nassar nega com a cabeça, como se não tivesse acontecido", alegou.

Segundo a acusação, pelo menos 65 supostas vítimas deporão contra o ex-médico, no maior escândalo sexual da história do esporte nos Estados Unidos.

Em virtude de um acordo de culpabilidade sobre o último conjunto de acusações, Nassar poderá receber de 25 a 40 anos adicionais de pena de prisão por parte de Cunningham.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade