Publicidade

Estado de Minas

Wall Street: Dow Jones sofre sua maior queda desde junho de 2016


postado em 02/02/2018 21:00

O índice principal de Wall Street, o Dow Jones, sofreu nesta sexta-feira (2) um revés maior, exibindo em termos percentuais sua pior sessão desde junho de 2016, arrastada pela queda da Chevron e da ExxonMobil e pelo auge das taxas de juros.

Segundo as cifras definitivas no fechamento, o Dow Jones recuou 2,54%, isto é, 665,75 pontos, a 25.520,96 unidades. Na semana, perdeu 4,12%.

O Nasdaq, de forte composição tecnológica, caiu 1,96% a 7.240,94 pontos, uma queda de 3,53% na semana.

O índice ampliado S&P; 500 deixou escapar 2,12%, chegando a 2.762,13 pontos, recuando 3,85% na semana.

Segundo dados do departamento do Trabalho, publicados nesta sexta-feira, o aumento interanual nos salários em janeiro foi de 2,9%, alcançando seu ritmo mais acelerado em nove anos, sinal de uma redução do mercado de trabalho e talvez de uma futura aceleração dos preços.

Sensíveis às perspectivas da inflação, os rendimentos dos bônus do Tesouro americano a dez anos de prazo subiram 2,853% durante a sessão contra 2,790% na quinta-feira.

Desde o fim de dezembro, essa taxa aumentou 0,43% pontos percentuais, muito acima das expectativas dos economistas.

O rendimento dos títulos a 30 anos de prazo chegou a 3,098% contra 3,024% na véspera.

Integrantes do Dow Jones, as grandes petroleiras americanas Chevron (-5,57% a 118,58 dólares) e ExxonMobil (-5,10% a 84,53 dólares) ajudaram a acelerar a queda do índice de referência da bolsa nova-iorquina, após a publicação de seus resultados decepcionantes trimestrais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade